Capoeira e Inclusão Social

agosto 31, 2007

Qual o teu RG?

Filed under: Capoeira — Fabiano Portela Schmidt @ 3:20 am

cap5.jpg

Quando alguem pergunta qual o teu RG, todo mundo já saber a resposta. Bom tem gente que não decora de jeito nenhum, mas aí a história é outra. Mas não há quem não saiba o que é o RG. Tive as moral de ver no goolge (não o acadêmico) pra ver o que é RG (aliás, amigos, depois que inventaram o goolge, fala sério né? tudo se acha lá). RG ou Registro Geral, ou Cédula de Identidade, é o documento nacional de identificação civil. Em outro link, diz que é um instrumento oficial que tem a finalidade de provar a identidade de uma pessoa. Cara muito xique isso. E quando o assunto é identidade a coisa esquenta. Nos últimos anos uma discussão tem devastado nossa sociedade (e olha que isso não é nada novo). Qual a identidade do povo brasileiro? Qual a nossa raça? Quando eu era pequeno, aprendi na escola que o povo brasileiro era formado pelo branco, pelo negro e pelo índio (coitados dos meus amiguinhos japas ou de mim mesmo que até aquela época não havia definição para minha cor – meu RG tá cutis branca, mas eu não sei muito bem disso não). Aprendi que da mistura dessas três raças é que a identidade do povo brasileiro foi formada. E acabou. Hoje as coisas mudaram, já não se fala em três raças; pesquisas indicam que a quantidade de genes do povo brasileiro é tão distanta, que um branco pode ser mais negro que um negro. Cara isso é muito loko. Mas e a nossa identidade cultural, nosso RG? Muito comenta-se hoje em herança dos povos, o branco da minha época virou elemento europeu, o negro virou africano (?) e o índio continua índio. Mas não se fala mais que dos africanos herdamos palavras e do índio temos o nome de ruas e bairros. A cultura desses povos, juntos com os orientais (da Arábia ao Japão), judeus, latino americanos formaram e continuam a mudar constantemente nosso povo. Um dos elementos de formação cultural mais expressivo do povo brasileiro é a Capoeira.

O movimento da Capoeira representa 500 anos de tradição, um verdadeira patrimônio cultural negro, instrumento de um povo que lutou pelo principal valor da humanidade: a liberdade.

As origens da capoeira estão ligadas a formação da nação brasileira. O batuque, a reza e o canto eram os meios encontrados para aliviar a asfixia da escravidão. No som dos atabaques continuava vivo o culto aos orixás e danças de onde nasceu a capoeira. A forma de resistência aos opressores era por meio da prática da arte, transmissão de cultura e melhora da auto-estima do escravo.

A capoeira é essa mistura de luta, dança, arte marcial, cultura popular, música e brincadeira. É uma valiosa contribuição para o nosso RG cultural; é parte de nossa história e lembraça das lutas que marcaram o povo brasileiro. É uma das mais significativas contribuições dos africanos, negros, escravos e seus descendentes para a formação da nossa identidade.

agosto 29, 2007

Mestre Bimba e Mestre Pastinha

Filed under: Capoeira — Fabiano Portela Schmidt @ 8:07 pm

Qual o mestre mais conhecido de todos? Qual a primeira coisa que todo calouro aprende em qualquer lugar do mundo em que se jogue a Capoeira Regional?

Manuel dos Reis Machado, esse era o seu nome. Mestre Bimba foi o responsável por colocar na Capoeira movimentos de artes marciais e desenvolver um treinamento como o que conhecemos hoje em dia.

Bimba começou a jogar Capoeira com 12 anos e jogou por 10 a Capoeira de Angola. Naquela época a Capoeira era proibida e considerada um crime.

Em 1932, Mestre Bimba fundou, com o apoio da Secretaria da Educação do Estado da Bahia, a primeira escola de Capoeira do Brasil, em Salvador.

A Capoeira Regional apareceu quando Bimba percebeu que a Angola perdia espaço para as lutas estrangeiras (karatê, judô, kung-fu, etc). Bimba procurou modernizar a Capoeira, sem perder suas tradições. Certa vez em que o mestre se encontrou com o então presidente Getúlio Vargas, ele disse: “A Capoeira é a única luta verdadeiramente nacional”.

Desenvolveu novos golpes para ela se tornar mais competitiva e tirou parte da ritualidade presente nas Rodas de Angola.

É crédito de Bimba hoje o berimbau ser o instrumento mais famoso nas rodas, já que antes era comum o uso da viola.

Bimba sempre afirmou que o maior diferencial da Capoeira Regional era sua seqüência de ensino, onde além de passar movimentos básicos para o iniciante, também havia parceria e autoconfiança.

Em 1946 foi feita a primeira apresentação pública de Capoeira. Depois da experiência ter dado certo, Bimba começou a fazer exibições com dia e hora marcada. Algo que era antes impossível para qualquer capoeirista, agora era realidade: ganhar dinheiro de forma honesta com sua arte.

Mestre Bimba é responsável pela Capoeira Regional ser jogada hoje em mais de 150 países.

Do outro lado da capoeira, Mestre Pastinha (Vicente Ferreira Pastinha) pregava a tradição, o jogo matreiro, de malícia, estilo que passou a ser conhecido como Angola.

Pastinha é conhecido como o Mestre da Cultura Africana. Ele era um pensador da Capoeira. Seu estilo teve seguidores por todo o Brasil. Para ele era importante o trabalho físico e mental para que o talento e a criatividade crescessem.

Fundou a primeira escola de Capoeira de Angola, o “Centro Esportivo de Capoeira Angola”, no Pelourinho, Bahia.

Durante décadas se dedicou ao ensino da Capoeira e mesmo completamente cego não deixava seus discípulos.

Graças às diferenças entre esses dois grandes mestres, a Capoeira deixou de ser marginalizada e se espalhou da Bahia para o mundo.

O tema Rubric. Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.